Não estamos vivendo uma era de mudanças, estamos vivendo uma mudança de era. Os próximos 20 e 30 anos irão trazer mudanças que, tirando alguns futuristas, a maioria de nós ainda não consegue nem sequer imaginar — e muito menos refletir sobre o impacto na nossa vida. A maioria dos estudiosas concorda que até hoje tivemos três grandes revoluções: (1) Revolução agrícola a cerca de 10.000 anos; (2) Revolução industrial a cerca de 250 anos; (3) Revolução digital a cerca de 25 anos. Essas três revoluções mudaram o mundo e como lidamos com ele. Não precisa ser muito inteligente para notar que intervalo de tempo entre elas está diminuindo exponencialmente, o que nos faz pensar de quanto em quanto tempo ocorrerão as próximas revoluções.

Temos algumas grandes revoluções batendo em nossas portas e elas chegarão de uma vez, com uma velocidade assombrosa. Mas, parece que estamos ignorando-as. Destaco quais revoluções alguns futuristas acreditam serem as próximas:

Impressão 3D

(a) Revolução da Impressão 3D — Imaginem o impacto disso, para ressaltar apenas alguns: Teremos impressoras 3D em casa igual temos computadores e faremos download do que quisermos de roupas à pizza; Imprimiremos casas 10x mais baratas e em questão de dias; Imprimiremos órgãos sob medidas, fazendo com que nossa expectativa de vida aumente em muito; As fábricas (que sobrarem, já que muita coisa será produzida em casa) serão baseadas em impressoras 3D gigantes, o que eliminará quase que por completo a mão de obra do chão de fábrica, vantagens competitivas como a da China com baixos salários irá quase desaparecer.

(b) Revolução Biotecnológica — Em alguns anos Gattaca se tornará real, viveremos em um mundo onde poderemos eliminar todas as doenças de nossas crianças antes mesmo de nascerem; Teremos alimentos mais nutritivos do que nunca antes tivemos; Nossa produção agropecuária crescerá e se tornara dezenas de vezes mais eficiente.

(c) Revolução da Inteligência Artificial, Internet das Coisas e Robótica:Todas as coisas estarão conectadas a internet, eletrodomésticos, nossas casas, carros e todo o mais. Tudo será controlado pelo smartphone e depois de alguns anos diretamente pelo nosso cérebro. Não conseguiremos mais distinguir um robô de um ser humano em pouco tempo.


O mais assustador não são essas revoluções e tecnologias em si, mas sim as consequências e possíveis usos que faremos delas — Principalmente se não começarmos já a refletir e estudar sobre elas. Não temos pessoas preparadas para lidar com tanta mudança em tão pouco tempo! Engenheiros de produção não possuem uma única matéria para falar de impressão 3D em fábricas; Cursos da área de computação e design ainda são poucos os que começam só agora a pensar em explorar a impressão 3D; Biólogos do mundo todo aprendem conhecimentos decorebas sobre os nomes de plantas que podem ser encontrados em todos os livros, mas poucos estudam a parte matemática, física, bioquímica e até filosófica e política de biotecnologia e como podemos explorá-la (e quando estudam é uma discussão rasa em uma aula qualquer); Médicos e profissionais de saúde em nossa universidade muitas vezes não conseguem imaginar um mundo como o de Gattaca e as consequências disso para sua profissão; Tirando universidades modernas e de ponta poucas falam de internet das coisas para seus engenheiros.

Daremos conta de ensinar tudo o que está por vir? Com certeza não. A função da escola deverá ser dar a base para que o aluno possa aprender tudo isso por conta, ao invés de bitolá-lo na decoreba frenética, caminho que qualquer pessoa que saiba fazer conta, percebe que não tem como empurrar todo o conhecimento do mundo goela abaixo dos estudantes.

Dito isso, está na hora de pararmos com o discurso “sempre foi assim e sempre funcionou desse jeito”. Para estes respondo que antes da revolução agrícola tudo funcionava bem quando saíamos para caçar, antes da revolução industrial tudo funcionava bem nos feudos, antes da revolução digital nossas escolas preparavam as crianças para as fábricas perfeitamente. Repito, não estamos vivendo uma era de mudanças, estamos vivendo uma mudança de era. Essa nova era exige um novo estado de consciência, uma nova educação e muita reflexão sobre o caminho que estamos seguindo e as consequências disso.

Para os mais otimistas estamos mais perto do que nunca da erradicação da pobreza, da fome, das doenças onde todos poderão trabalhar com o que amam e serem felizes. Para os mais pessimistas estamos chegando no nossoAdmirável Mundo Novo, estamos mais perto do que nunca de uma desigualdade social sem precedentes, onde poucos viverão muito bem e muitos estarão na sarjeta, algo capaz de tornar o munda no qual vivemos dividido em castas.

Como não sei qual dos dois cenários vai se concretizas e acredito que a escola e a universidade não vão mudar tão rápido a ponto de acompanhar essas revoluções e nos preparar para elas, meu conselho é: Mude seu mindset, se torna protagonista de sua vida e o único responsável por se preparar pelo novo mundo que está para nascer. Vá ler, aprender e principalmente fazer o que vai te diferenciar nesse novo mundo que bate a nossa porta. E comece já.